Mapa do SiteOutlook Mail

CGE e DPE vão assinar Termo de Cooperação para utilização do SINCIN

PDF Imprimir E-mail

O Sistema Integrado de Controle Interno (SINCIN), desenvolvido pela Controladoria-Geral do Estado do Piauí (CGE) já vem sendo adotado em praticamente todos os órgãos e entidades do Governo do Estado. E tem sido ampliado para outras instituições como Tribunal de Contas (TCE) e Defensoria Pública do Estado (DPE). 

reuniaocge-dpe

Nesta quinta-feira (03), o controlador-geral do Estado, Nuno Bernardes e a defensora pública geral, Hildeth Evangelista, estiveram reunidos para compartilhar as experiências com o SINCIN. A Defensoria já utiliza o Sistema e os servidores que atuam no Núcleo de Controle Interno da instituição já participaram do Curso de Formação de Controladores Sociais, promovido pela CGE. Portanto, estão aptos a utilizar a ferramenta. Agora, a CGE vai ceder os códigos-fonte do sistema para que a Defensoria adote à sua realidade. É o que explica o controlador-geral do Estado, Nuno Bernardes. 

“A Defensoria não é nossa jurisdicionada por ter sua autonomia já assegurada pela Constituição, mas a reunião de hoje foi para iniciar as tratativas para que a Defensoria, no seu controle interno, possa utilizar essa ferramenta. Com os códigos-fonte, será possível parametrizar e adaptar a ferramenta à realidade da DPE”, afirmou.

A cessão do sistema deve ocorrer ainda este mês de maio, por meio de Termo de Cooperação Técnica entre a CGE e a DPE.

Para a defensora pública geral, a ferramenta facilita os trabalhos de gestão da Defensoria e a adaptação será bastante útil para agilizar ainda mais o controle interno da instituição.  

“Nossos técnicos foram à CGE, fizeram a capacitação (Curso de Formação de Controladores Internos) e voltaram extremamente empolgados, querendo que a Defensoria aderisse e começasse a utilizar, antes até mesmo desse termo de cooperação. É uma inovação e facilita o controle dos nossos atos de gestão e das despesas que estávamos efetuando. Quero parabenizar a CGE por esse sistema que reflete transparência e dá ao gestor tranquilidade na autorização das despesas”, disse Hildeth Evangelista.

Escrito por Virgínia Santos   
 

Adicionar comentário

Será rejeitada a mensagem que desrespeitar a lei, apresente linguagem ou material obsceno ou ofensivo, seja de origem duvidosa, tenha finalidade comercial ou não se enquadrem no contexto do sítio. A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores.


Código de segurança
Atualizar