Mapa do SiteOutlook Mail

CGE e Ministério Público farão parceria para cessão do SINCIN e treinamentos

PDF Imprimir E-mail

O Sistema Integrado de Controle Interno (SINCIN), ferramenta desenvolvida pela Controladoria-Geral do Estado (CGE) está expandindo sua abrangência para além dos órgãos do Poder Executivo.  

Nesta quarta-feira (2), as funcionalidades da ferramenta foram apresentadas aos membros do Controle Interno do Ministério Público Estadual e ao procurador-geral de Justiça, Cleandro Moura.  A proposta é que, assim como ocorreu com o Tribunal de Contas do Estado (TCE), a CGE faça a cessão do código-fonte do sistema para implantação no MP PI.

 

O gerente de Controle Interno da CGE, auditor governamental Márcio Rodrigo Souza e auditor governamental Alan Soares mostraram o passo a passo do uso do SINCIN, bem como os resultados satisfatórios obtidos em menos de um ano de implantação nos órgãos e entidades do governo estadual. 

“Um dos resultados mais notáveis está no fato de que conseguimos consolidar o conhecimento dos auditores da CGE no Sistema. Dessa forma, podemos assessorar o gestor e permitir uma segurança de que os processos estão sendo feitos dentro das leis, dos regulamentos e das boas práticas de gestão. Para aqueles que analisam as despesas através do SINCIN, verificamos que houve uma diminuição do tempo de análise, melhorando a eficiência do controle interno como um todo”, afirmou o auditor Alan Soares

Na reunião, além da cessão da ferramenta para uso interno do MP PI, foi tratado sobre a capacitação dos servidores do MP PI.  

apresentacao-mppi2

“Esta parceria é para que o Ministério Público do Estado possa utilizar essa ferramenta dentro do seu controle interno, na execução das suas despesas, assim como o TCE está fazendo. Portanto, é uma ação muito importante e um reconhecimento da expertise dos auditores da CGE. Além disso, trabalhamos também a possibilidade para que os auditores da CGE possam ministrar cursos e qualificações, capacitando os mais variados servidores do Ministério Público, em suas atividades internas, ou seja, executar ações com economicidade, celeridade, obedecendo à legislação”, destacou o controlador-geral, Nuno Bernardes. 

O SINCIN deve ser compartilhado por meio de Termo de Cooperação Técnica entre os dois órgãos. 

O procurador-geral de Justiça, Cleandro Moura, também ressaltou a importância da ferramenta, sobretudo quanto à celeridade para análises dos processos de despesas no âmbito do Ministério Público.  

apresentacao-mppi

“Acreditamos que a implantação do SINCIN vai facilitar bastante o trabalho do controle interno do Ministério Público, pois vai descentralizar, de certa forma, e tornar bem mais célere e eficiente essa nossa fiscalização. Até porque o sistema estabelece pré-requisitos para que não deixe passar em branco nenhuma das disposições ou exigências legais e formais. Portanto, acredito que essa ferramenta será bem utilizada pelo Ministério Público”, assegurou.

 

Escrito por Virgínia Santos   
 

Adicionar comentário

Será rejeitada a mensagem que desrespeitar a lei, apresente linguagem ou material obsceno ou ofensivo, seja de origem duvidosa, tenha finalidade comercial ou não se enquadrem no contexto do sítio. A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores.


Código de segurança
Atualizar